"O direito é criado pelo homem, é um produto tipicamente humano, um artifício sem entidade corporal, mas nem por isso menos real que as máquinas e os edifícios." - Gregorio Robles

05/11/2015

Vicissitudes do processo eletrônico (ou, quando o de papel que era bom)

Sou entusiasta da tecnologia. Mesmo que não fosse o caso, seria preciso que nos adaptássemos a ela, pois afinal está nos mais diversos campos do cotidiano. E isso é bom, porque as inovações tecnológicas facilitam a vida enormemente, em comparação com o jeito "arcaico" de se fazer as coisas. Contudo, isso no geral; muitas vezes a tecnologia serve mais para atrapalhar do que qualquer outra coisa.

Se pareço ranzinza, quase um ludista da Advocacia, é porque há dias não consigo acessar o processo eletrônico de nenhum tribunal (STF, TRT-1 etc.). Mesmo tentando 5 (cinco!) navegadores diferentes -Firefox, Chrome, Baidu, Explorer e Opera-, tendo atualizado, desinstalado e reinstalado (não necessariamente nessa ordem, ou melhor, em todas possíveis) o Java e, ainda, tentado em mais de um computador. Em vão. Para trabalhar, tenho que utilizar o note de casa ou ir até as salas disponibilizadas pela OAB/RJ para os advogados.

Mui provavelmente são problemas com o Java, pelo menos no site do TRT-1 há a advertência de que a versão "8" do famigerado aplicativo está em testes no portal, e que seria prudente evitar por ora a atualização. Ocorre que as atualizações muitas vezes são forçadas ou automáticas ou, ainda, atualiza-se sem saber. Como quer que seja: somos advogados, não técnicos em informática. Não temos a obrigação de conhecer os meandros do mundos dos bits e bytes. Imaginem vocês a enorme dificuldade que advogados idosos, parcamente familiarizados com a internet, têm sofrido. E vá ligar para o "suporte" dos tribunais! Sai com mais dúvidas ainda.

Ah, e os autos físicos. Não causam nada disso. É imprimir, grampear e mandar o estagiário protocolar. Situações em que fazer as coisas à velha maneira ainda é o melhor.

Vejam vocês. A janelinha indicando que os "pop ups" estão habilitados. Contudo,  a "Verificação de Ambiente" acusa uso de "pop ups" não habilitado! É ou não é pra ficar maluco?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...