"O direito é criado pelo homem, é um produto tipicamente humano, um artifício sem entidade corporal, mas nem por isso menos real que as máquinas e os edifícios." - Gregorio Robles

13/02/2020

Direitos humanos e meio ambiente


O texto abaixo é do sítio da Faculdade de Direito de Harvard e trata, com base na experiência da jurista Aminta Ossom, da abordagem ambiental e climática pela ótica dos direitos humanos. O foco humanista é importante, diz Ossom, por tornar o trato com o tema menos técnico (afinal envolve jargões científicos que passam ao largo do conhecimento e da experiência de vida do cidadão comum), tornando-o assim mais acessível e democrático- afinal, se todos são potenciais vítimas da mudança climática, também todos devem ter garantida a participação nesse debate (debate, e aí acrescento eu, que não pode se limitar aos velhos paradigmas, e sim ser propositivo de uma nova forma de produção e circulação de riquezas, em prol da própria sobrevivência do planeta).

A imagem do post é "Wake up call" de Beata Belanszky (2019). Outras formidáveis artes sobre o tema podem ser vistas aqui.

Finding human solutions to global problems

Dana Walters

With headlines declaring 2019 the year that the world woke up to climate change, Aminta Ossom ’09 sees hope in approaching the issue from a specific angle: human rights.

“Human rights has a lot to offer the climate change movement because it’s a way to humanize the issue. It becomes less scientific or technical and more accessible,” she said. “The human rights approach also says that everyone has a buy-in and should have a say. Everyone is a potential victim of the effects of climate change,” she added.

After years working at Amnesty International and the United Nations, Ossom returned to Harvard Law School this fall to teach in the International Human Rights Clinic (IHRC), where one of her projects focuses on how human rights organizations are advising governments on climate change. The new clinical instructor, who self-identifies as a “regional human rights systems nerd,” had not originally planned on a career in law.

(leia a continuação aqui)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também: